Publicidade - OTZAds

Amor e Sexualidade: Como Equilibrar a Intimidade e a Paixão

Quando um novo relacionamento começa, ambas partes sentem uma explosão de sentimentos e sensações. É tudo muito intenso! Muita paixão envolvida, beijos de novela, desejo e uma eterna lua de mel. Mas, estudos comprovam que tudo isso tem prazo de validade, podendo durar entre 18 e 30 meses. E o que de fato acontece é que com o passar dos meses a relação amadurece e o amor se torna muito mais sólido. Mas, como equilibrar o Amor e Sexualidade? 

Neste aspecto, também ocorrem modificações, já que as coisas começam a acontecer em outro ritmo um pouco menos acelerado. Isto nos faz pensar numa pergunta, o que é mais importante num relacionamento então, o amor ou o sexo? E a verdade é que os dois devem andar de mãos dadas. 

Publicidade - OTZAds

Mas muitas vezes alguns casais têm dificuldade para equilibrar o amor e a sexualidade. Por isso, criei o post de hoje onde falaremos como é possível equilibrar a intimidade e a paixão nos relacionamentos. Acompanhe!

A importância de uma comunicação aberta e honesta sobre a sexualidade

Assim como cada ser humano é um mundo, cada um tem seus gostos diferentes até mesmo quando se trata de sexualidade e intimidade. Por isso, ter uma comunicação aberta e honesta no relacionamento é fundamental para o fortalecimento do casal. 

Publicidade - OTZAds

Um casal é composto por duas pessoas totalmente distintas, as quais têm vivências diferentes, personalidades, opiniões e gostos. Por isso, é importante que o diálogo seja constante sobre todo tipo de assuntos. Isto promove intimidade, o qual se torna essencial para um bom relacionamento sexual.

Quando há uma maior intimidade, falar sobre amor e sexualidade fica mais fácil, assim como também sobre preferências e gostos nos momentos íntimos. Exponha sempre de maneira educada e carinhosa o que gosta ou não, se quer experimentar novas posições ou até mesmo como prefere as carícias. 

Dicas para manter a chama da paixão acesa no relacionamento

Para que o amor e a sexualidade não caia na rotina, depende diretamente do casal. Com o passar do tempo isto costuma acontecer, já que muitas vezes se perde aquele entusiasmo e fervor dos primeiros dias. Mesmo assim, há algumas coisas que podem ser feitas para manter acesa a chama da paixão. Confira a continuação:

Publicidade - OTZAds
  • Experimente coisas novas na cama: Comente com seu parceiro sobre fetiches e fantasias. E até mesmo pode se valer de brinquedos sexuais para inovar.
  • Nunca deixe de namorar: É importante que o casal reserve um momento a sós para eles. Não precisa ser programas muito elaborados. Pode ser até mesmo dar um passeio, um jantar especial em casa, ir ao cinema, etc. 
  • De espaço ao seu parceiro: Se recomenda que cada um possa fazer suas coisas e tirar um tempo para si, para estar com os amigos, ou fazer alguma atividade do seu agrado. E você faça o mesmo! 
  • Deixe o celular fora da relação: Quando estiverem juntos, esqueçam que o telefone existe. Dediquem tempo de qualidade e aproveitem para conversar. 
  • Reforce seus sentimentos pelo seu parceiro: Sempre que tiver vontade, diga quanto gosta e como se sente bem ao seu lado. E até mesmo pode elogiar. 

Como lidar com diferenças na libido e nas preferências sexuais

Pode acontecer de que haja diferenças no desejo sexual ou nas preferências sexuais no casal, fazendo com que surjam discrepâncias e conflitos. Tudo isto pode afetar a qualidade do relacionamento, por isso é fundamental saber como lidar com estas diferenças de maneira saudável.

Por isso, o diálogo se torna fundamental para que possa ser fomentado uma maior vínculo entre o casal. Um dos pontos mais comuns que podem gerar conflitos é a frequência das relações sexuais, já que pode haver certa discrepância. Entretanto, estudos afirmam que casais que fazem sexo pelo menos uma vez por semana se sentem melhor no seu relacionamento. Sendo assim, pode ser de proveito trabalhar para melhorar a baixa libido de uma das partes.
Assim como também, quando se trata de preferências sexuais, ambas partes podem chegar a um consenso para que ambos se sintam bem e confortáveis. Conversar sobre limites também é importante, assim a outra parte também fica consciente até onde pode chegar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *